A Garota no Trem – Livro de Paula Hawkins

O livro narra a história de três mulheres: Rachel, Megan e Anna
Rachel é a personagem principal  e todos os dias pega o trem para Londres. Ela mora de favor com uma amiga porque se separou do marido Tom. Ela ainda é dependente psicologicamente dele. Volta e meia liga, deixa mensagem no celular dele e chora muito por ele.
Ela costuma afogar as mágoas na bebida e está constantemente bêbada e também acima do peso. O fato de estar acima do peso faz com que vários personagens tenham comentários depreciativos em relação a aparência dela como descuidada e que nenhum homem iria querer ficar com ela porque ela engordou muito. Isto me irritou um pouco porque dá a impressão que apenas mulheres magras têm a capacidade de atrair os homens. Após ser despedida ela continua pegando o trem para Londres e neste trajeto ela observa as pessoas que estão em suas casas.
Os mais observados são Jess e Jason. Rachel deduz que eles formam o casal perfeito e que Jason é um homem maravilhoso. Eles moram perto da casa onde Rachel morava com o marido. Hoje, Tom é casado com Anna e tem uma filhinha chamada Eve.
Tom deixou Rachel por causa de Anna que é bonita e magra. Anna se sente incomodada com as ligações de Rachel tarde da noite e com o fato do marido ficar sempre ao telefone tentando acalmar a ex-mulher.
Um dia Rachel chega em casa machucada, mas ela não sabe o que aconteceu. Ela tem lapsos de memória por causa da bebida.
Dias depois ela fica sabendo que Jess desapareceu. Ela começa a investigar o caso e descobre que Jess na verdade se chama Megan e é casada com Scot. Ao se aproximar dele para tentar desvendar o mistério começa a desconfiar que  Scot é o responsável e descobre que o casal não era tão feliz assim.
Megan também tem seus capítulos no livro, mas é a memória passada dela, enquanto Anna e Rachel falam do presente.
Personagens bem reais que apanham, levantam, apanham de novo. Cai e persiste no erro. O livro é um thriller emocionante e prende a atenção do leitor do começo ao fim. Muita gente não gostou da obra, mas quem já sofreu por amor pode entender a atitude de Rachel de ligar sem parar para o ex-marido, de não se conformar em ter sido trocada, e do lixo que ela se sente por causa da traição. Ela tem um fio de esperança que ele volte porque ele era a única pessoa que ela tinha na vida. Rachel dependia emocionalmente dele. Isto acontece quando a gente deixa de viver a vida da gente e passa a viver a vida do outro. É preciso ter companheirismo, mas independência também.
Existe um momento que você chega a ficar tão impregnada pela depressão de Rachel que você pensa em deixar  o livro de lado.  Ela não consegue parar de beber e de ligar para o Tom. Vai dando uma irritação. Você se coloca no lugar dela e dá uma aflição, um sentimento de perda e impotência.
A Megan ou Jess é uma jovem bonita, mas que está casada com Scot e está insatisfeita. Ele a vigia o tempo todo. Quer saber onde ela vai, com quem? Então são duas mulheres. Rachel que perdeu o marido e se sente sozinha e Megan que tem o marido apaixonado, mas ele é um grude que irrita demais.
Já Anna é a mulher que roubou o marido da outra. Bonita e que sonhava em sair do papel de amante para o de esposa. Mas será que ela é feliz? Ficar em casa cuidando de uma criança naquela rotina interminável. Acabaram as emoções de ser amante e ela vive em casa.
Enfim, quem são estas mulheres ? Como elas se envolveram uma com a outra?  Quem é o culpado pelo desaparecimento de Megan?
Quem são estes dois homens? Scot e Tom ? São bons? Ruins?
Para saber você terá que ler o livro.

Notas:
Livro: 5 – Thriller emocionante que deixa o leitor atento do começo ao fim e personagens bem construídos e com um moralismo duvidoso.

Personagem preferido: 5 - Rachel porque ela me fez sentir várias emoções. Ternura, raiva e pena.

Capa: 1. Uma capa simples com o título escrito. Não gostei da cor. Achei que pela história valia uma capa bem elaborada